As Leis 10.639/03 e 11.645/08, que versam sobre o ensino da história e cultura afrobrasileira, africana e indígena, ressaltam a importância da cultura negra e indígena na formação da sociedade brasileira.

As Leis 10.639/03 e 11.645/08 é simbolicamente uma correção do estado brasileiro pelo débito histórico em políticas públicas em especiais para a população negra e indígena. Neste contexto, a publicação de livros didáticos pertinentes a História da África, Cultura Afrobrasileira e indígena, para o Ensino Fundamental I, torna-se uma alternativa eficaz para o ensino-aprendizagem nas escolas públicas e particulares sobre o ensino das relações étnicos e raciais. Visto que a docência tem questionado em órgãos públicos sobre a carência de livros didáticos para a efetivação das leis supracitadas.

Por isso fizemos uma pesquisa e encontramos alguns livros que podem ser trabalhados em sala de aula, aqui você pode ler uma sinopse e baixar o pdf, porém é importante que você também adquira o livro. 

livros  técnicos para
 professor | professora
Caderno1 - Modos De Ver
Modos De Sentir
Modos De Interagir
Modos De Fazer
Modos De Brincar
Memória das Palavras
livros  de  apoio
Meu crespo é de rainha
Meu crespo é de rainha

Publicado originalmente em 1999 em forma de poema rimado e ilustrado, esta delicada obra chega ao país pelo selo Boitatá, apresentando às meninas brasileiras diferentes penteados e cortes de cabelo de forma positiva, alegre e elogiosa. Um livro para ser lido em voz alta, indicado para crianças a partir de três anos de idade - e também mães, irmãs, tias e avós - se orgulharem de quem são e de seu cabelo 'macio como algodão' e 'gostoso de brincar'.

press to zoom
As sementes de Zumbi
As sementes de Zumbi

Luana acorda no meio da noite com um barulho que só depois identifica ser o som dos tambores que a chamam de “esperança de Palmares”, “esperança das sementes de Zumbi”. Sabendo que Cafindé, lugar onde mora, é um remanescente de quilombo, ela toca seu berimbau mágico e se transporta para Palmares, à época em que era liderado por Zumbi. Encontra primeiro o escravo Expedito, que teme os castigos do capitão-do-mato. Depois encontra Benden, um amigo muito corajoso que a leva até Palmares e seu líder.

press to zoom
O cabelo de Lelê
O cabelo de Lelê

Lelê não gosta do que vê - de onde vem tantos cachinhos? Ela vive a se perguntar. E essa resposta ela encontra num livro, em que descobre sua história e a beleza da herança africana. O livro aumenta autoestima e autoidentificação positiva das crianças negras. Ilustrações maravilhosas.

press to zoom
As cores de Mateus
As cores de Mateus

Mateus é negro como a noite e escuro como um mistério. E é um menino adoptado. A sua mamã conta-lhe que ele nasceu numa ilha muito distante... Porque é que é tão difícil para os seus colegas da escola entender isso?

press to zoom
Ana e Ana
Ana e Ana

O livro Ana e Ana, de Célia Godoy, conta a história de duas irmãs que eram gêmeas idênticas. Quando eram bebês, por serem iguaizinhas, a avó vivia confundindo uma com a outra: achava que Ana Carolina fosse Ana Beatriz e vice-versa. Assim, uma delas acabava tomando duas mamadeiras, enquanto a outra ficava com fome, entre outras trapalhadas. À medida que elas cresciam, a confusão aumentava junto. Para o desespero das meninas, elas só ganhavam roupas e brinquedos iguais.

press to zoom
Koumba e o Tambor Diambê
Koumba e o Tambor Diambê

Griot é o contador de histórias africano que passa a tradição dos antepassados de geração em geração. "Koumba e o tambor diambê", é trabalhar a identidade afrodescendente na imaginação infantil. E é justamente à imaginação que esses livros falam a partir de uma composição sensível, de textos curtos e poéticos, associados a belas ilustrações. Modo lúdico de reforçar a autoestima da criança a partir da valorização de seus antepassados, de sua cultura e de sua cor.

press to zoom
Minha mãe é negra sim!
Minha mãe é negra sim!

O livro “Minha mãe é negra sim!”, da autora Patrícia Santana, conta a história do menino Eno, que se vê às voltas com o racismo na escola e sofre com o dilema de ter que retratar sua mãe negra, em uma atividade escolar. O garoto Eno é levado a se perguntar pela sua origem. Negro, ele percebe o preconceito da professora que sugere que Eno pinte o desenho da mãe, negra, de amarelo por ser uma cor mais bonita. Não pode haver tristeza maior para o seu coração.

press to zoom
O menino marrom
O menino marrom

Esta é a história de um menino marrom, mas fala também de um menino cor-de-rosa. São dois perguntadores inveterados que querem descobrir juntos os mistérios das cores. “Quem inventou que o contrário de preto é branco?”.“Se um de nós é marrom e outro não é exatamente branco, por que nos chamam de preto e branco?”. São muitas as perguntas, e muitas serão as descobertas.

press to zoom
Lápis cor de pele
Lápis cor de pele

Ana, em seu primeiro dia de aula, ficou surpresa quando viu que os colegas tinham um "lápis cor de pele". Então, pensou: "Será que gente só tem uma cor?" A partir daquele dia, começou a prestar atenção nas pessoas e descobriu coisas que nunca havia percebido antes. Notou que os olhos, cabelos e bocas de seus amigos eram bem diferentes uns dos outros. E começou a pensar que o mais legal era justamente isso. Que sem graça seria o mundo se todos fossem iguais!

press to zoom
Pretinho meu boneco querido
Pretinho meu boneco querido

Tudo começa no aniversário de 8 anos de Nininha, que ganha de presente um boneco negro como ela. Logo que chega, Pretinho tem de lidar com o ciúme e com o preconceito dos demais bonecos, que não o aceitam pelo fato de ele ser negro. Com novo projeto gráfico e novas ilustrações, essa comovente história discute o preconceito racial e nos faz refletir sobre como são infundadas todas as formas de discriminação.

press to zoom
Yvyra Poty - E as árvores da floresta
Yvyra Poty - E as árvores da floresta

Conta a história de uma indiazinha que nasceu na floresta e recebeu o nome de Yvyra Poty, retrata a vida do seu povo, usos e costumes, mostrando como é bela a vida dos índios e a sua harmoniosa convivência com a natureza. Os autores contaram com a colaboração dos povos indígenas , especialmente das crianças das aldeias Bororó, Jaguapiru e Panambizinho, de Dourados, MS. A publicação apresenta o texto também no dialeto desses povos.

press to zoom
Diz a lenda
Diz a lenda

Houve um tempo em que os índios ainda não sabiam plantar roças. Para se alimentar, eles caçavam, pescavam e colhiam frutos silvestres. Por causa disso, não podiam parar muito tempo em um lugar. Era isso que acontecia com a tribo do velho índio Auati e de sua neta Maiara. Mas daquela vez, Auati sentiu-se sem forças para acompanhar o grupo e decidiu ficar.

press to zoom
Menino Poti
Menino Poti

Lá na mata, vive o Menino Poti. Ele vive numa oca, lá na taba. Poti é bonito, com pena de tucano no peito. O Menino Poti vai de canoa pela mata. A canoa leva o pote. O pote leva muita banana. Poti vê o tatu e a cutia, vê o tucano e o tico-tico. E o bebê-macaco vê Poti. Aí ele pula, cai lá da moita e bate o pé no toco. Ai, ai, ai! Coitado do macaco! Poti vê o macaco caído e cuida dele. O menino bota o macaco na canoa e o danado como toda a banana do pote. A canoa leva Poti até a taba.

press to zoom
Ubatã, O menino índio
Ubatã, O menino índio

A história de Ubatã, o menino-índio surgiu da grande preocupação que temos atualmente com o meio ambiente. Quem melhor que um menino-índio, que respeita a natureza e entende os animais, para mostrar essa importância? Que a mensagem de Ubatã, transmitida por sua história de coragem e perseverança, possa despertar o guerreiro que há em cada um de nós.

press to zoom
Aquitã, o indiozinho
Aquitã, o indiozinho

Aquitã é um indiozinho muito forte e corajoso. Porém, quando a noite chega trazendo a escuridão, Aquitã rapidamente procura abrigo no colo de sua mãe. O indiozinho, quem diria, morre de medo do escuro!

press to zoom
Mitos e lendas indigenas
Mitos e lendas indigenas

Este livro está editado em Tupi-Guarani e traduzido para o Português, é um trabalho para ser utilizado no ensino indígena ou não.

press to zoom
O irmão que veio de longe
O irmão que veio de longe

O indigenista Carlos, conhecido por seu trabalho na Amazônia, morre precocemente. Um ano depois, a esposa Carmen e os filhos Peri, Cauê e Jaci descobrem o segredo que Carlos tentou revelar antes de morrer, mas não conseguiu: quando ainda era solteiro ele teve um filho, Carlinhos, com uma índia da Amazônia, que morreu logo após o parto. Agora órfão de pai e mãe, o garoto vai morar com a nova família.Carmen o aceita, Peri resiste, Cauê tenta resolver o impasse, enquanto a pequena Jaci ...

press to zoom
UIRAPURÚ - LENDAS BRASILEIRAS
UIRAPURÚ - LENDAS BRASILEIRAS

Em Uirapuru, encontramos a história de um índio e uma índia – prometida a outro – que se apaixonam. Eles tentam se amar em segredo, mas o pajé descobre o romance secreto entre eles e toma medidas radicais para acabar com aquela união.

press to zoom
VITÓRIA RÉGIA - LENDAS BRASILEIRAS
VITÓRIA RÉGIA - LENDAS BRASILEIRAS

“Vitória-Régia” é a lenda da bela índia que, apaixonada pela lua, se lança em seu reflexo no rio para virar estrela; triste, a lua faz dela uma linda flor d'água que se abre à noite para ver o luar.

press to zoom
As 100 melhores lendas do Folclore brasi
As 100 melhores lendas do Folclore brasi

O folclore brasileiro é conhecido por sua riqueza e diversidade. Bebendo em fontes indígenas, africanas e europeias, reúne histórias transmitidas oralmente por séculos a fio, recontadas à sua maneira por cada por cada narrador. A.S.Franchini conta sua versão de algumas das mais emocionantes histórias do folclore nativo, nas quais o fantástico e o popular se unem para recriar antigos relatos sobre a formação dos povos e do território brasileiro.Algumas das mais famosas lendas indígenas.

press to zoom
vídeos  de  apoio
 
algumas escritoras e escritores negros que deveriam ser estudados nas escolas
Abdias Nascimento - Escritor
Carolina Maria de Jesus - Escritora
Machado de Assis - Escritor
Solano Trindade - Poeta
Nina Rizzi - Poetisa
Paulo Colina - Poeta
Miriam Alves - Poetisa
Milton Santos - Geografo e Escritor
Maria Firmina dos Reis - Escritora
Elisa Lucinda - Poetisa
Conceição Evaristo - Escritora
Cruz e Sousa - Poeta
Adão Ventura - Poeta
Auta de Souza - Poeta
Carlos Machado - Poeta